betboo - Ferrari revela modelo “selvagem” SF90 XX e todas as unidades se esgotam imediatamente

Você nunca poderá ter uma dessas, mas pode admirar

Ferrari SF90 XX preço
(Foto: Ferrari)

Essa máquina de edição limitada combina perfeitamente aerodinâmica e eletrônica, sendo uma das razões pelas quais o cupê e o conversível Spider já estão esgotados. A Ferrari apresentou uma versão ainda mais extrema do seu supercarro SF90 – o SF90 XX – com o objetivo de desafiar os limites entre um carro de corrida e um grand tourer.

A potência foi aumentada no trem de força híbrido plug-in do carro, e a Ferrari afirma que ele pode atingir de 0 a 100 km/h em 0,2 segundos a menos do que o SF90, chegando a menos de 2,0 segundos. Serão produzidos tanto um cupê Stradale quanto um conversível Spider, mas em quantidade limitada; ambos os estilos de carroceria já estão esgotados.

Com a famosa pista de corrida Pista di Fiorano como cenário, a Ferrari lançou seu mais recente ícone de desempenho, o SF90 XX, que traz consigo o apelido duplo “XX” normalmente usado para os modelos de alto desempenho da marca. Mais leve, mais potente e com uma aerodinâmica revisada, a edição especial SF90 é a primeira variante XX aprovada para uso nas ruas, situando-se no limite entre um carro de corrida e um esportivo de rua da Ferrari.

Desempenho elevado

Ferrari SF90 XX lançamento
(Foto: Ferrari)

Os modelos SF90 XX são impulsionados pelo mesmo trem de força híbrido plug-in do modelo padrão, que consiste em um motor V-8 biturbo e três motores elétricos. Porém, para o SF90 XX, os engenheiros da Ferrari ajustaram o motor V-8 biturbo para extrair mais potência. As entradas e saídas do V-8 foram polidas, novos pistões foram instalados e a taxa de compressão foi aumentada. Agora, a potência máxima é de 786 cavalos, um aumento de 17 cv. Combinado com um novo recurso chamado Extra Boost para os motores elétricos, a potência total do sistema chega a 1.016 cavalos, um ganho de 30 cv.

O Extra Boost é limitado ao modo de condução Qualify e serve para recuperar rapidamente a velocidade do carro ao sair de uma curva. O recurso é ativado quando o motorista pisa fundo no acelerador e pode ser usado até 30 vezes antes de a bateria se esgotar. Quando não está no modo Qualify, o SF90 XX ainda consegue rodar cerca de 14 quilômetros apenas com a energia da bateria.

Também foram realizadas modificações na caixa de câmbio de oito marchas do carro. A nova lógica de troca de marchas foi emprestada do Daytona SP3, e as mudanças de marcha são acompanhadas por um ronco de escapamento empolgante, com um aumento de rotação. Esse som agressivo, transmitido para o interior por meio de um tubo conectando a entrada ao habitáculo, proporciona ao SF90 XX uma experiência sonora digna de um carro de corrida – e podemos dizer que é alto e dá arrepios.

A Ferrari declara oficialmente um tempo de 0 a 100 km/h de 2,3 segundos, o que é 0,2 segundos mais rápido do que o SF90. Quando testamos o SF90 Stradale padrão em 2021, conseguimos um tempo recorde de 2,0 segundos, o que colocaria o tempo do SF90 XX em 1s.

Força aerodinâmica suprema

Ferrari SF90 XX unidades
(Foto: Ferrari)

Além da enorme asa traseira fixa, a Ferrari redesenhou muitos elementos aerodinâmicos do SF90 para aumentar a força descendente. A empresa afirma que o SF90 XX pode gerar até 1.168 libras de downforce a 250 km/h, um grande salto em relação às 860 libras do SF90 Stradale. O XX mantém o spoiler traseiro ativo do SF90, que foi redesenhado para trabalhar em conjunto com a asa fixa e pode alternar entre as posições de baixa resistência e alta força descendente.

O capô possui duas entradas de ar que servem como saídas para o ar que passa pelos radiadores dianteiros. O ar quente desses dutos é direcionado para cima e sobre o teto do carro, enquanto o ar mais frio é direcionado ao redor do habitáculo, através das grandes aberturas laterais, para resfriar o V-8. Além disso, os radiadores usados para resfriar os componentes elétricos foram posicionados de cabeça para baixo no SF90 XX, permitindo a descarga de ar na parte inferior da carroceria.

A Ferrari também aprimorou os sistemas eletrônicos do SF90 XX visando um melhor desempenho e tempos de volta. Um novo sistema de controle de chassi, proveniente do 296 GTB, utiliza três sensores de guinada para otimizar a dinâmica do carro em tempo real, maximizando o desempenho de frenagem.

Um visual longilíneo

Ferrari SF90 XX
(Foto: Ferrari)

As engenharias mais complexas resultaram em várias mudanças no design do carro. A adição da grande asa traseira fixa exigiu uma alteração na parte traseira do SF90 XX, que foi alongada para criar uma espécie de silhueta longtail. As novas saídas de ar no capô são realçadas por uma cor contrastante, e as entradas de ar montadas nos para-lamas inspiram o design do painel interno das portas.

Falando no interior, a Ferrari eliminou o carpete e criou novos assentos monocoque feitos de fibra de carbono para reduzir o peso. Embora pareçam fixos, os assentos são ajustáveis e contam com materiais elásticos inteligentemente integrados para dar a impressão de encosto fixo.

O console central possui menos revestimento e, em vez de couro ou plástico, é coberto por uma bela fibra de carbono com acabamento fosco. A alavanca cromada da transmissão de oito marchas foi reposicionada para a frente do console central, e os interruptores dos vidros elétricos foram movidos para trás.

Serão fabricados apenas 799 cupês SF90 XX Stradale e apenas 599 SF90 XX Spiders, e todos já foram vendidos. O preço do cupê é de aproximadamente US$ 844.000 nas taxas de câmbio atuais. O Spider é ainda mais caro, custando cerca de US$ 932.000. A Ferrari não divulgou quantos serão disponibilizados na América do Norte, mas uma coisa é certa: eles serão veículos colecionáveis, não importa onde estejam.

Leia também:

Este é o último Chevrolet Camaro movido a gasolina

Qual banco tem a menor taxa de juros para financiamento de veículos em 2023?

Quais são os principais problemas do Hyundai HB20 2023?